Governo do Tocantins avança na implantação de energia solar e inicia Estudos estruturantes para atender demanda energética da Educação

O Projeto de Usinas Fotovoltaicas tem como objetivo suprir 100% o abastecimento de energia nos órgãos públicos do Tocantins
por Adrielly Cavalini/Governo do Tocantins
-
Secretário-Executivo do CPPI Robson Ferreira, Diretora-Geral da Companhia Andrea Andreis, Presidente da Companhia Aleandro Lacerda, Presidente do IPGC Leonardo Luiz dos Santos e o secretário de Administração Bruno Cesarino. - Foto: Adrielly Cavalini/Governo do Tocantins

Visando alinhar as ações que serão desenvolvidas nos estudos estruturantes do Projeto de Usina Fotovoltaica, o Governo do Tocantins, por meio da Companhia Imobiliária de Participações, Investimentos e Parcerias - Tocantins Parcerias, reuniu-se nesta terça-feira, 25, com o Presidente do Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades (IPGC), Leonardo Luiz dos Santos. O Projeto, que integra a carteira de projetos do Programa de Parcerias e Investimentos do Tocantins (TOCANTINS-PPI), tem o objetivo de promover a sustentabilidade economia financeira para o Estado, por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

A Tocantins Parcerias é a sociedade de economia mista responsável pela coordenação do Projeto de energia sustentável nas edificações do Estado, o qual será conduzido pela Diretoria-Geral da Companhia. Conforme o Diretor-Presidente, Aleandro Lacerda, é uma oportunidade ímpar para o Governo e para os tocantinenses. “O Governador Mauro Carlesse tem desenvolvido uma política de valorização da Educação, com novas instalações e a PPP das Mini Usinas visa atender inicialmente essa demanda, por meio do sistema de energia limpa e renovável que servirá muito além do que diminuir o nosso consumo de energia elétrica”, assegurou. 

Vale destacar que nesse primeiro momento, todo o consumo de energia elétrica da Educação do Tocantins será gerado por energia solar, com expectativa de instalação de três mini usinas no Estado, com capacidade de 5 megawatts de potência (MWP) na modalidade de geração distribuída em módulos fotovoltaicos.

O Secretário-Executivo do Conselho de Parcerias e Investimentos –CPPI, Robson Ferreira, explicou que a determinação do Governador Mauro Carlesse, de suprir o consumo de energia elétrica dos órgãos públicos do governo, através da construção de Usinas que utilizarão o sol como fonte de energia, coloca o Tocantins em posição de destaque no Brasil e no Mundo. “Essas usinas serão construídas e operadas pela iniciativa privada e o Governo, além de ter uma imediata redução nos gastos com contas de energia, ainda será o dono das Usinas no final do contrato”, garantiu.

 

Estudos Preliminares

O Instituto de Planejamento e Gestão de Cidades (IPGC) tem o papel de auxiliar na estruturação do Projeto de Mini Usinas, com transferência de tecnologia para que a Companhia possa assessorar o Governo na modelagem do Projetos com celeridade e qualidade. 

Conforme o presidente do IPGC Brasil, a primeira fase dos estudos é composta pelo levantamento dos dados estruturantes, que contém dados econômicos, técnicos e jurídicos, e a partir desse levantamento que será apresentado o estudo de viabilidade do Projeto ao Governo. “Os estudos irão apresentar a vantagem da instalação das Usinas no Estado, o valor do investimento, a previsão de tempo de contrato da concessão, para então o Estado aprovar, e iniciar a fase de licitação e assinatura do contrato com a empresa vencedora. Além disso, durante esse processo ocorre a consulta pública para a população ter conhecimento e realizar sua contribuição”, explicou.

Todo o consumo de energia elétrica da educação do Tocantins será gerado por energia solar, com expectativa de instalação de três miniusinas no Estado, com capacidade de 5 megawatts de potência - Adrielly Cavalini/Governo do Tocantins

 

Energia solar no Tocantins

A energia solar pode contribuir consideravelmente para reduzir as taxas de emissão de carbono de diversas atividades, e seu uso vem crescendo em todo o mundo, atualmente sendo considerada uma fonte energética renovável, sustentável e com muitas vantagens sobre outras fontes, como baixo custo de manutenção e uma vida útil prolongada.

A Diretora, Andrea Andreis, informa que o projeto gerará energia solar, limpa, segura e renovável para atender a necessidade do Estado, sendo priorizado o desenvolvimento sustentável, com alternativas que estimulem o crescimento econômico, que tenham baixo ou nenhum impacto ambiental, com ações ligadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS.

O IPGC tem o papel de auxiliar na estruturação do Projeto de Miniusinas, com transferência de tecnologia para que a Tocantins-Parcerias possa assessorar o Governo na modelagem dos projetos com celeridade e qualidade - Foto: Adrielly Cavalini/Governo do Tocantins
Participaram também da reunião o secretário de Estado da Administração, Bruno Cesarino, membros da equipe técnica e jurídica da Tocantins Parcerias, o gerente de Projetos e Orçamentos de Energia da Secretaria de Infraestrutura, Paulo Farias, e o Assessor Especial da SPI, Álan Rickson.

keyboard_arrow_up