Com participação dos policiais civis do Tocantins, maior pesquisa do país vai avaliar qualidade de vida dos profissionais de segurança pública

Diagnóstico encerra dia 30 de novembro e visa subsidiar o planejamento de políticas públicas que atendam aos servidores.
por Walquerley Ribeiro/Governo do Tocantins
-
A participação é sigilosa, não havendo qualquer forma de identificação pessoal dos profissionais. file_download

O Ministério da Justiça e Segurança Pública está realizando a maior pesquisa nacional para levantar informações sobre saúde, segurança, valorização e qualidade de vida dos profissionais de segurança pública e defesa social de todo o país. O diagnóstico encerra dia 30 de novembro e o link da pesquisa será disponibilizado, aos servidores, pelos superiores imediatos de todos os departamentos, delegacias e instituições. 

A participação é sigilosa, não havendo qualquer forma de identificação pessoal dos profissionais. A pesquisa é realizada em parceria com a Universidade de Brasília (UnB), sendo que os dados serão tratados coletivamente e nenhuma informação pessoal será compartilhada.

“Convidamos todos os nossos policiais para que respondam o questionário da pesquisa, pois com a participação do maior número de profissionais vamos mostrar o quanto a classe, no Tocantins, está empenhada na melhoria da qualidade de vida e valorização profissional. A pesquisa vai nortear as ações futuras para construir políticas públicas baseadas em evidências para valorizar e dar mais qualidade de vida aos profissionais integrantes do Sistema Único de Segurança Pública”, destacou a superintendente de Segurança Integrada da Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSPTO), Fatima Holanda.

A gerente de Valorização do Policial Civil da SSPTO, Leni Barbosa, reforça que o principal objetivo da pesquisa é conhecer as características e necessidades do profissional que está na ponta, trabalhando para proteger a população. “A partir das informações coletadas, serão fomentadas ações pelo Programa Nacional de Qualidade de Vida para Profissionais de Segurança Pública e Defesa Social (Pró-Vida). Com a Lei nº 13.675/2018, o programa passou a fazer parte dos meios e instrumentos para a implementação da Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. Por isso é tão importante que os cerca de 2 mil policiais civis do Estado deem sua contribuição”, acrescentou a gerente. 

Pró-Vida

Criado em 2010, o Programa Nacional de Qualidade de Vida dos Profissionais da Segurança Pública tem como objetivo a valorização do profissional da área de segurança, reduzindo os riscos de morte como também atuando na prevenção da saúde durante o exercício de suas relevantes funções.

Com a implantação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), a partir da Lei nº 13.675, de 11 de junho de 2018, o Pró-Vida visa elaborar, implementar, apoiar, monitorar e avaliar, entre outros, os projetos de programas de atenção psicossocial e de saúde no trabalho dos profissionais de segurança pública e defesa social, bem como a integração sistêmica das unidades de saúde dos órgãos que compõem o Susp.


 

Edição: Sara Cardoso/Governo do Tocantins

Revisão Textual: Sara Cardoso/Governo do Tocantins

keyboard_arrow_up