Estudantes da rede estadual de Palmas recebem acolhimento alusivo à campanha Setembro Amarelo

Os alunos que optaram por retornar às aulas presenciais tiveram uma manhã animada e acolhedora na unidade de ensino
por Juliana Carneiro/Governo do Tocantins
-
Estudantes são acolhidos com ação alusiva à campanha Setembro Amarelo - Foto: Divulgação

A Diretoria de Juventude da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), em parceria com a Diretoria Regional de Educação, Juventude e Esportes (DRE) de Palmas e com os alunos protagonistas do Programa Jovem em Ação, da Escola Estadual Professora Elizângela Glória Cardoso, preparou uma manhã animada e acolhedora alusiva à campanha Setembro Amarelo para os alunos que optaram por retornar às aulas presenciais. 

O diretor de Juventude da Seduc, Pedro Reis, explica o objetivo da ação que integra a campanha Setembro Amarelo de alerta e prevenção ao suicídio. “Trata-se de uma ação que visa à prevenção e conscientização das pessoas quantos aos sinais de um possível suicídio. Nossa intenção é mostrar aos jovens que sempre há outro caminho e que é preciso acolher e saber ouvir sem julgamentos”. 

Além disso, a diretora da instituição de ensino, Iane Dias de Oliveira, ressalta que a mobilização com entrega do lacinho amarelo, que simboliza a campanha e demais materiais, tem como objetivo chamar a atenção dos alunos e de toda a comunidade escolar para este grave problema social. Além de mostrar aos jovens e adolescentes a importância de ter um projeto de vida que norteie suas ações em busca de suas metas e objetivos. 

Para a aluna da 1ª série do ensino médio, Giordana Maria Castro de Oliveira, de 15 anos, a ação mostrou o quanto é importante acolher bem as pessoas. “O sentimento é de que podemos sim fazer a diferença na vida de alguém ao darmos um bom dia, aos sermos gentis e receptivos ao que o outro tem a dizer, se fazer presente na dificuldade do outro é importante”, frisou.

Setembro Amarelo

A campanha Setembro Amarelo existe desde 2014, quando a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), organizou a ação, que tem o objetivo de conscientizar e prevenir o suicídio.

Equipe organizadora do acolhimento - Divulgação
keyboard_arrow_up