Escola de Goianorte compartilha experiência de sucesso com a Educação de Jovens e Adultos

Atualmente, a escola atende 128 estudantes, que recebem os roteiros de estudos em casa. Alguns desses alunos estão aprendendo a ler outros já estão concluindo o ensino médio
por Josélia Lima/Governo do Tocantins
-
Casal Deijanira e Domingos aproveitam o tempo para estudar juntos - Foto: Divulgação Dicom Seduc/Governo do Tocantins

A equipe da Escola Estadual Morro do Mato, localizada na cidade de Goianorte, está alcançando ótimos resultados com o ensino na modalidade de Educação de Jovens e Adultos. A escola atende atualmente 128 alunos, com o ensino de forma remota e, desses, 90% são estudantes com idade acima de 60 anos.

São pessoas que não frequentaram a escola na infância ou na adolescência, porque tiveram que trabalhar, ora na roça ou em outra atividade para ajudar no sustento da família.

A escola promoveu uma busca ativa e utilizou meios como visitas domiciliares, ligações telefônicas, videochamadas para manter a turma motivada e com vontade de aprender.

A orientadora educacional Hosana Pereira Silva que, de forma constante, acompanha os estudantes vem colhendo inspiradoras histórias de vida e desejos de aprender para serem mais independentes.

Um desses exemplos, é o senhor Antônio Araújo da Silva, 81 anos, que está na turma de alfabetização. “Voltei a estudar para aprender a ler e a escrever”, frisou. Já a estudante Deusmerinda Conceição Morais, 64 anos, deseja ler com mais fluência. “Quero melhorar a leitura e a caligrafia, aprendi a gostar de ciências, de história e de geografia”, contou.

Na casa de Deijanira Lacerda Moreira, 73 anos, estudam ela e o esposo, Domingos Alves Moreira, 75 anos. Ela deseja aprender a ler com mais segurança para conseguir resolver suas coisas de forma independente. “Quero aprender a assinar o meu nome bem feito, a usar um caixa eletrônico. Eu vou aprender e estou feliz por isso”, ressaltou.

Alice Ferreira, de 71 anos, tem o desejo de aprender a ler e compreender a Bíblia. “Tenho vontade de ler um livro, de estudar a palavra de Deus, porque quanto mais a gente lê a Bíblia, mais tem vontade de continuar lendo”, comentou. Para Alice, um livro continua sendo uma caixa secreta, que ela vê, mas não consegue enxergar o seu conteúdo.

Maria do Carmo Conceição da Silva, 71 anos, é outra aluna que aprendeu a gostar de estudar. “Estou muito feliz por estar adquirindo novos conhecimentos, aprendi a gostar da escola e já consigo resolver algumas coisas que dependem da leitura”, comentou.

Em tempos de pandemia, o estudo representa um refúgio, uma forma de sair da rotina e de ocupar a mente. A orientadora Hosana leva os roteiros de estudos nas residências dos alunos, busca formas de motivá-los a estudar e faz com que esses estudantes também acreditem nos seus sonhos e busquem realizá-los.

“Aprendo muito com eles, troca constante de saberes, lições de vidas, sonhos e conhecimento. Amo estar com eles e poder levar motivação, amor e esperança de dias melhores em suas vidas”, ressaltou.

O diretor da escola, Luiz César Ferreira Batista, lembrou que essas visitas realizadas aos estudantes da EJA estão sendo feitas com cuidados dobrados. “São pessoas que passaram 30 ou até 40 anos fora da escola, e essa oportunidade de oferecer a eles mais conhecimento é motivo de alegria e satisfação para toda a equipe da escola”, destacou.

Luiz César lembrou mais de uma vez que a escola está sendo rigorosa em relação aos protocolos de biossegurança, para garantir aos estudantes tranquilidade para estudar.

Aluno Antônio deseja conhecer o universo da leitura - Divulgação Dicom Seduc/Governo do Tocantins
Aluna Deusmerinda disse que gosta de estudar ciências e Geografia - Divulgação Dicom Seduc/Governo do Tocantins
Aluna Maria do Carmo disse que aprendeu a gostar de estudar - Divulgação Dicom Seduc/Governo do Tocantins
Aluna Alice quer aprender a ler para se aprofundar nas leituras da Bíblia - Divulgação Dicom Seduc/Governo do Tocantins
keyboard_arrow_up