Seciju e Esmat realizam 1° Seminário Estadual sobre Política de Atenção às Pessoas Egressas do Sistema Penal

Evento está com inscrições abertas e será realizado em formato on-line nesta quinta-feira, 16
por Gabriela Santos/Governo do Tocantins
-
Seciju e Esmat realizam 1° Seminário Estadual sobre Política de Atenção às Pessoas Egressas do Sistema Penal - Foto: Governo do Tocantins

Para fortalecer a Política de Atenção às Pessoas Egressas, Pré-egressas e Familiares, além de divulgar os serviços prestados a este público pelo Escritório Social, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), em parceria com a Escola Superior de Magistratura (Esmat), ligada ao Tribunal de Justiça do Tocantins, realizará o 1° Seminário Estadual sobre Política de Atenção às Pessoas Egressas do Sistema Penal. O evento será nesta quinta-feira, 16, a partir das 13h30, e as inscrições podem ser realizadas por meio deste link até a quarta-feira, 15.

A intenção do evento também é formar servidores e servidoras do Sistema Penal e da Rede de Apoio às Pessoas Egressas do Sistema Penal, além de outros profissionais e a sociedade civil. E, para isso, estão sendo oferecidas mil vagas direcionadas a magistrados e magistradas, servidores e servidoras do Sistema de Justiça, do Sistema Penal, Rede de Apoio às Pessoas Egressas do Sistema Penal, sociedade civil e demais profissionais interessados no tema.

Para a gerente de Políticas de Alternativas Penais, Bárbara Pinheiro, a participação dos servidores da Seciju no evento se faz necessária para que os temas sobre o trabalho desenvolvido para as pessoas egressas sejam debatidos. “O evento é de grande importância para a consolidação da política, pois é através da capacitação dos servidores que se tornará conhecido o público atendido, as metodologias de atendimento e os serviços ofertados pelo Escritório Social”, aponta.

O Seminário

Com carga horária de cinco horas, serão apresentados temas como: fomento à adoção de mecanismos Estaduais e Municipais de empregabilidade e alocação de mão de obra de pessoas pré-egressas e egressas; participação da Sociedade Civil na Execução da Pena; o papel da Rede de Atenção às Pessoas Egressas do Sistema Penal no processo de restabelecimento dos vínculos sociais; e escritório Social como equipamento de concretização de direitos.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Esmat

Edição: Alba Cobo

Revisão Textual: Marynne Juliate

keyboard_arrow_up