Adapec alerta produtores sobre término do vazio sanitário da soja no dia 30 de setembro

Agência mantém equipes para fiscalizar e garantir que seja cumprido o período proibitivo de plantas vivas de soja no campo
por Dinalva Martins/Governo do Tocantins
-
Período do vazio sanitário visa impedir o aumento da disseminação da ferrugem asiática, principal praga que acomete a cultura da soja - Foto: Adapec/Governo do Tocantins

O vazio sanitário, que iniciou no dia 1° de julho, termina no próximo dia 30 de setembro no Tocantins. Durante todo este período, é proibido manter plantas vivas da oleaginosa em lavouras de sequeiro para evitar a proliferação do fungo causador da ferrugem asiática, sob risco de penalidades. O Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), esteve nas propriedades rurais fiscalizando e monitorando o cumprimento das normas. A partir de 1° de outubro, o plantio estará liberado.

A medida visa prevenir e controlar a ferrugem asiática, principal praga que ataca a cultura e causa grandes prejuízos econômicos. “Nosso trabalho é orientar e colaborar para que a safra seguinte tenha o mínimo de impacto em virtude da praga. Os sojicultores têm consciência das responsabilidades e têm cumprido a legislação”, frisa o presidente da Adapec, Paulo Lima.

O responsável técnico pelo Programa Estadual de Controle da Ferrugem Asiática da Soja da Adapec, Cleovan Barbosa, explica que o vazio é uma ferramenta importante utilizada para reduzir a disseminação da praga e assim garantir a qualidade na produção e na produtividade. “O período é de 92 dias para que seja quebrado o ciclo do fungo, reduzindo a quantidade de esporos e consequentemente atrasar a ocorrência da praga na safra seguinte", pontua.

Na última safra 2020/2021, foram cadastradas na Adapec 1.701 propriedades e, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), foi cultivada no Tocantins uma área de mais de 1 milhão hectares de soja de sequeiro.

Entressafra

No Tocantins, somente é autorizado o cultivo de soja durante o vazio sanitário em áreas onde a destinação do plantio é para fins de pesquisa ou sementes  nas Planícies Tropicais, sob sistema de subirrigação, que compreendem os municípios de Lagoa da Confusão, Pium, Cristalândia, Formoso do Araguaia, Dueré e Santa Rita.

Ferrugem Asiática da Soja

É a principal praga que acomete a oleaginosa, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi. Ela dissemina rapidamente entre os plantios pelo vento. O maior prejuízo causado é a redução da produtividade, já que causa desfolha precoce nas plantas, impedindo que os grãos de soja se formem completamente.

Edição: Caroline Spricigo

Revisão Textual: Marynne Juliate

keyboard_arrow_up