Administração realiza reuniões para prestação de contas patrimonial anual 2021

Através destes encontros Secad orienta e dá maior autonomia aos órgãos e entidades na execução do Inventário Patrimonial
por George Gomes/Governo do Tocantins
-
A verificação de procedimentos contábeis patrimoniais via sistemas substituirá a realização do inventário físico in loco. - Foto: Ascom file_download

A Secretaria da Administração (Secad) por meio da Diretoria de Gestão Patrimonial (Digep) gerencia e coordena a gestão patrimonial do Poder Executivo do Estado sendo responsável pela conferência e regularidade das rotinas patrimoniais dos órgãos e entidades, que são realizadas anualmente. 

Em razão do cenário de pandemia e considerando todas as medidas de segurança adotadas pela Pasta e a partir dos resultados satisfatórios dos dois sistemas de gestão de patrimônio, o SIGA-Patrimônio e o SIGA-Almoxarifado, que já estão completando dois anos em atividade, a Digep busca dar mais autonomia aos gerenciados. 

Desta forma, vem realizando, desde o início deste mês, de forma gradativa e com agendamento prévio na sede da Secad, reuniões com todas as instituições do Poder Executivo. O intuito é regularizar as pendências referentes às rotinas patrimoniais, bem como tirar dúvidas e questionamentos de qualquer natureza junto aos órgãos e entidades. 

“A pandemia decorrente da Covid-19 nos trouxe vários desafios, principalmente quanto à realização de rotinas habituais junto aos órgãos e entidades das cidades do interior do Estado, por exemplo, o que tornou inviável a realização do Inventário Patrimonial 2021 in loco, então a execução destes sistemas traz uma melhoria na descentralização da prestação de conta anual e trará ainda mais autonomia e organização junto aos órgãos” ressalta Maria Osmanda, Diretora de Gestão Patrimonial.

Osmanda explica ainda, que o SIGA-Patrimônio oferece maior controle e segurança sobre as incorporações e baixas referentes a toda e qualquer movimentação de bens móveis tanto internamente, quanto externamente, entre órgãos do Poder Executivo. Quanto ao SIGA-Almoxarifado, este supre uma enorme deficiência do Estado, que era a ausência de um sistema único e moderno para registrar e gerir os bens de uso e consumo e, em pouquíssimo já se tornou em uma ferramenta indispensável para a gestão e prestação de contas patrimonial. 

O Secretário da Administração, Bruno Barreto, reforçou a importância dos órgãos e entidades de manterem suas relações de bens por localização (setor) atualizadas e salvas em arquivos digitais para possíveis fiscalizações e/ou prestações de contas futuras, “Assim, conseguimos assegurar a continuidade desta rotina patrimonial de forma eficiente e eficaz visando uma prestação de contas ainda mais ágil e segura no decorrer do primeiro trimestre de 2022” pontua.

Edição: Wanderson Gonçalves

keyboard_arrow_up