Cultivo de nova variedade de milho híbrido é apresentada em Unidade Experimental do Ruraltins

Dia Técnico do Milho reuniu mais de cem participantes e contou com a parceria da Seagro
por Edvânia Peregrini/Governo do Tocantins
-
Cultivo de nova variedade de milho híbrido é apresentada em Unidade Experimental do Ruraltins - Foto: Delfino Miranda/Governo do Tocantins

Alta produtividade para safrinha, segurança e facilidade de colheita e maior tolerância em ambientes favoráveis às doenças; esses são alguns dos benefícios da nova variedade de milho híbrido apresentado na manhã desta quarta-feira, 29, no dia Técnico do Milho, realizado pelo Governo do Tocantins, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e parceiros.

O evento reuniu mais de cem participantes, dentre eles extensionistas e especialistas da área, com a ministração de palestras e visita técnica à Unidade de Referência Tecnológica (URT), instalada no campo experimental do órgão.

Esta unidade visa demonstrar os aspectos técnicos e a viabilidade econômica da cultura do milho, que pode ser utilizada tanto para grãos quanto para produção de milho verde e silagem, este com a integração do capim forrageiro.

Nas abordagens, o Dia Técnico trouxe informações sobre o manejo da cigarrinha (D. maidis) do milho, uma das principais pragas que incide no cultivo desse grão; o enfezamento do milho, doença que tem como vetor a cigarrinha, causando danos expressivos nas lavouras, especialmente do milho; a integração Milho Consorciado com forrageira; Uso de fosfato Natural na fosfatagem Corretiva; e Custo-benefício da produção de milho.

Em relação à cigarrinha, o chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Daniel Fragoso, destacou as principais medidas de controle desse inseto transmissor da bactéria causadora do enfezamento na planta do milho.

“Como ela [cigarrinha] é específica da planta do milho, ou seja, o seu hábito alimentar é restrito ao milho, vai se concentrar justamente no período de plantio. É importante a gente considerar isso porque dentro das medidas de controle estão o planejamento. O que mais se utiliza é o controle químico, mas é importante ressaltar que uma medida isolada não vai ter o efeito desejado para o manejo, então é importante utilizar materiais resistentes, com certo grau de tolerância na questão dos enfezamentos, usar a questão da eliminação de plantas fora do período que a gente chama de milho tiguera; fazer uma boa colheita para evitar que a espiga caia durante o processo; e fazer uso de produtos biológicos”, destacou.

Sobre o consórcio no plantio de milho com o capim forrageira, as orientações foram do doutor Rodrigo Munhoz, fitotecnista da Embrapa. “Aqui nós estamos mostrando o consórcio do milho com o capim, que é uma técnica dentro do sistema de integração lavoura-pecuária. Essa técnica é importante porque o produtor consegue, ao mesmo tempo, preparar e plantar uma área para produção de grão, no caso aqui o milho, e também junto fazer a formação de um capim. E esse capim é extremamente importante para o manejo sustentável do solo, no que diz respeito à ciclagem de nutrientes, enraizamento em profundidade, aumento de matéria orgânica, proteção da superfície do solo para aumentar o uso eficiente da água para superar dificuldades climáticas, como por exemplo os veranicos, ou mesmo para aqueles produtores de gado que precisam de uma forragem durante a época seca do ano”, explicou.

Atento aos conteúdos apresentados durante o Dia no Campo, o extensionista do Escritório Local de Novo Acordo, Fabrício Pavão, afirmou que está com atendimento a um produtor de Rio Sono e que, com os conhecimentos desse dia técnico, pretende implantar na propriedade o sistema de consórcio milho e capim forrageiro para a recuperação de pastagem na propriedade rural assistida que tem como atividade a pecuária de corte.

Acompanhando todo o evento, o presidente do Ruraltins, Fabiano Miranda aproveitou para agradecer o apoio do Governo do Tocantins e dos parceiros públicos e privados em viabilizar a realização do Dia Técnico. “A realização desse evento só foi possível porque contamos com as parcerias de instituições de ensino, da pesquisa e da iniciativa privada, que tem nos tem apoiado desde o início na implantação dessa unidade experimental. E apresentar os resultados desse trabalho aos extensionistas do Ruraltins e parceiros é essencial, para que continuemos a levar conhecimento e tecnologia ao homem do campo, principalmente aos pequenos e médios agricultores”, destacou.

No encerramento do Dia Técnico, todos os participantes puderam experimentar as delícias do milho: milho cozido, curau e chica-doida.

Parcerias

A Unidade experimental e a realização do Dia de Campo contam com as parcerias da Universidade Federal do Tocantins (UFT); Universidade Estadual do Tocantins (Unitins); Empresa Brasileira de Pesquisa (Embrapa); Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro); Prefeitura Municipal de Palmas; Forseed; Foscal e Rialma Fertilizantes.

keyboard_arrow_up