Julho Verde: o papel da fonoaudiologia e da fisioterapia no tratamento do câncer de cabeça e pescoço

O HGP conta com uma equipe multidisciplinar que inclui assistência médica, fisioterapia, fonoaudiologia e psicologia.
por Ellayne Czuryto - Governo do Tocantins
-
Pacientes são atendidos pela equipe de fonoaudiologia e fisioterapia no ambulatório do HGP. - Foto: Luciana de Barros - Governo do Tocantins

Julho é o mês de conscientização da população sobre a prevenção e principalmente o diagnóstico precoce do câncer de cabeça e pescoço, que é fundamental para a cura, uma vez que o diagnóstico tardio - que ocorre em cerca de 60% dos casos - pode dificultar o tratamento e deixar sequelas nos pacientes.

O tratamento oncológico, principalmente em pacientes com câncer nessa região, são muitas vezes agressivo, por isso a importância da integração da equipe multidisciplinar para que o paciente tenha as melhores possibilidades de adaptação após o tratamento. A fonoaudiologia e a fisioterapia tem o objetivo de oferecer ao paciente uma convivência familiar e social melhor, sua comunicação oral reabilitada e/ou adaptada, se alimentar por via oral, conquistando sua independência e uma melhor qualidade de vida.

A fonoaudióloga Patrícia Policeno do serviço de Reconstrução de Crânio Facial do Hospital Geral de Palmas, explica que o câncer de cabeça e pescoço provoca alterações fonoaudiológicas com impacto na deglutição, respiração, voz, motricidade orofacial e mastigação. “O fonoaudiológo é o profissional habilitado para avaliação e reabilitação dos distúrbios de fala, audição, voz, deglutição e motricidade orofacial, decorrentes do tratamento do câncer.”
 

Ela enfatiza ainda que as principais modalidades de tratamento para as neoplasias do Câncer de Cabeça e Pescoço são a cirurgia, a radioterapia e a quimioterapia, isoladas ou associadas. “A escolha do tratamento é definida pelo médico, mas são sempre consideradas pela equipe multidisciplinar, a possibilidades de preservar a fala, a voz, a mastigação e o mecanismo de deglutição, e também pode causar deformidades estéticas, além de consequências econômicas e emocionais, impactando a vida do paciente e família,” explicou a fonoaudióloga.
 

A fisioterapeuta do serviço de Reconstrução de Crânio Facial do HGP, Talita Brunes, fala sobre a relevância da fisioterapia oncológica no atendimento aos pacientes com câncer de cabeça e pescoço. “Nosso principal objetivo é preservar, desenvolver e restaurar a integridade cinética e funcional do paciente, além de prevenir alterações causadas pelo tratamento do câncer, a exemplo do trismo (sequelas bucais oriundas da radioterapia), que pode gerar dificuldade de alimentação, perda de peso, dificuldade de fala e déficit de higiene bucal.”
 

Ela ressalta também uma das conquistas do serviço de Reconstrução de Crânio Facial do HGP, que foi a aprovação da acupuntura dentro das práticas integrativas do SUS. “É muito gratificante poder oferecer acupuntura para os pacientes, trazendo todos os benefícios que a acupuntura tem, melhorando a qualidade de vida e principalmente fazendo a diferença na vida deles, tenho muito orgulho de fazer parte dessa equipe do HGP.”
 

Lives Julho Verde
 

 Dia 20/07 - “Câncer de boca, laringe e faringe”, com o médico cirurgião de cabeça e pescoço do HGP, Daniel Hiramastsu.

 “Câncer de laringe e as intervenções da fonoaudiologia”, com a fonoaudióloga Patrícia Policeno.

 Dia 27/07 - “Câncer de cabeça e pescoço e as intervenções da fisioterapia”, com a fisioterapeuta do serviço de Reconstrução de Crânio Facial, Talita Brunes.

 “Você sabe como prevenir câncer de cabeça e pescoço” - participação da equipe multidisciplinar.

Edição: Dock Jr.

Revisão Textual:

keyboard_arrow_up