Etsus-TO participa de oficina nacional em Brasília

Oficina Nacional de Monitoramento e Avaliação da PNEPS aconteceu no último dia 18 de novembro.
por Saúde/Divulgação
-
A oficina foi organizada pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia. - Foto: - Divulgação Saúde file_download

Com o objetivo de apresentar a validação da matriz avaliativa, do painel de indicadores para o acompanhamento da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde – PNEPS e um conjunto de ferramentas para seu alcance, aconteceu no último dia 18 de novembro, a Oficina Nacional de Monitoramento e Avaliação da PNEPS, em Brasília, onde a Etsus – TO teve o privilégio de participar do projeto piloto, representando as Escolas Estaduais de Saúde Pública da Região Norte do Brasil, por meio do Processo Educacional de Acolhimento em Redes de Atenção à Saúde – ARAS.

A PNEPS vem sendo implementada em todo o país, num esforço articulado que reúne um conjunto de atores estratégicos, entre a gestão, os serviços, as instituições formadoras e o controle social. O objetivo é a aproximação dos processos formativos às necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS) e a transformação das práticas no cotidiano do trabalho, almejando entre os efeitos, a reorganização dos serviços de saúde no SUS.

A oficina foi organizada pelo Ministério da Saúde (MS) e Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA), e teve como público representantes das Secretarias Estaduais de Saúde (01 por Estado/ Distrito Federal), Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS).

“O processo de validação permitiu refinar a matriz avaliativa e definir com mais precisão a proposta de indicadores para subsidiar o monitoramento e avaliação da PNEPS. Importante destacar que uma proposta de monitoramento e avaliação deve favorecer os diferentes processos de educação permanente em saúde, com suas diversas abrangências e especificidades, articulados com as necessidades decorrentes do processo de trabalho e das práticas de saúde. A institucionalização dessa proposta permitirá a produção de informações relevantes que poderão subsidiar o processo decisório e a qualificação das ações e serviços no âmbito do SUS”, destaca a Diretora da Etsus – TO, Fabíola Sandini, que complementa, “a validação da Matriz Avaliativa, tendo como escopo do trabalho o ARAS, trouxe elementos fundamentais que contemplaram todas as dimensões apresentadas”.  

 

Edição: Dock Jr.

Etsus-TO representou as Escolas Estaduais de Saúde Pública da Região Norte do Brasil. - - Divulgação Saúde file_download
Oficina aconteceu em Brasília-DF. - - Divulgação Saúde file_download
keyboard_arrow_up