Ouvidoria Geral do Estado elabora ações integradas com interlocutores durante encontro de formação

por Ray Viana/ Ascom CGE
-
900.jpg
- Foto: 900

Desenvolver ações integradas e voltadas para o cidadão, fortalecer e ampliar a rede de Ouvidoria e traçar metas para melhorar o serviço de atendimento. Estes foram os principais assuntos debatidos no Iº Encontro de Formação para Interlocutores, realizado na última sexta-feira, 21, no auditório da Controladoria Geral do Estado - CGE.
A abertura do evento, contou com a presença do Controlador Geral do Estado, Ricardo Eustáquio de Souza, e do Secretário-Executivo da CGE, José Pedro Leite. O Encontro é uma iniciativa do Governo do Estado por meio da CGE.
Na abertura, o secretário-chefe defendeu atuação integrada entre a ouvidoria e os órgãos do governo do Estado, por meio dos interlocutores. “Esse trabalho conjunto é fundamental. É por meio do interlocutor, juntamente com a Ouvidoria que o cidadão será atendido de maneira rápida e eficiente. Nós temos que superar as expectativas e oferecer as respostas que ele realmente deseja obter”, explicou. Ricardo afirmou ainda que, “hoje a ouvidoria, precisa exercer a função de serviço ao cidadão, e o Governo do estado está fazendo a sua parte, com grande esforço, para colocar a OGE em um nível de excelência, quando o assunto é atendimento e controle social”.
O secretário-executivo da CGE também reforçou o papel da ouvidoria, afirmando que considera a atuação da OGE de extrema importância, pois “consolida o processo de democratização no estado, potencializando o exercício da cidadania e a participação social”.
Perspectivas
Ricardo Eustáquio falou ainda sobre os desafios e perspectivas para a Ouvidoria. Segundo ele, o ano de 2013 foi fundamental para o avanço do trabalho da OGE, principalmente após a centralização dos serviços. “Em 2014, nossa expectativa é melhor ainda, vamos aperfeiçoar a qualidade do atendimento oferecido e garantir melhorias à estrutura da Ouvidoria Geral do Estado, o Governo do Tocantins vai contratar uma central de atendimento (Call Center), que além de promover economia, atuará de forma eficiente, possibilitando comunicação direta, clara e personalizada”, garantiu.
O Controlador também destacou a criação de um Sistema de Gestão de Ouvidoria - SGO, que vai facilitar a padronização das ações, bem como de atendimento ao cidadão. Segundo ele, com o novo sistema, todas as demandas serão enviadas para o órgão, ou entidade específica, a qual a manifestação se refere, em tempo real. Dessa forma, a Ouvidoria atuará com mais celeridade na conclusão das demandas, o que possibilitará uma maior agilidade e eficiência na resposta ao cidadão.
“Nosso papel é ampliar e fortalecer as ações desenvolvidas pela OGE, melhorando as formas de intermediação, para atendermos aos anseios do cidadão”, disse.
Interlocutor
Na oportunidade a ouvidora geral do Estado, Ioná Assumção, apresentou a equipe da OGE e as principais ações desenvolvidas nas coordenadorias e reforçou o papel da Ouvidoria.
Ioná também apresentou as principais atividades que devem ser exercidas pelo interlocutor, além de discutir uma forma de qualificar o serviço e padronizar as ações dos interlocutores e ouvidores.
“A reunião com os interlocutores serviu para que cada um conhecesse um pouco mais sobre a importância dessa função. Além de debater as dificuldades que encontram no dia-dia, principalmente no momento de receber, apurar e encaminhar as manifestações”. A ouvidora afirmou ainda que “o interlocutor deve ser proativo, e muitas vezes se colocar no lugar do cidadão, priorizando a celeridade no andamento das demandas e acima de tudo a transparência”.
Desafios
Durante o encontro a ouvidora geral também discutiu os principais desafios para os interlocutores. Temas como, atendimento, consolidação de dados, prazo para respostas ao cidadão, intermediação, entre outros foram priorizados no evento.
Outro aspecto debatido, no encerramento do encontro, foi a importância da política de Formação Continuada entre a OGE, os interlocutores e os gestores, com o objetivo de aprimorar o trabalho dos profissionais da ouvidoria.
A interlocutora Maria Letícia Ferreira, da Agência de Defesa Agropecuária – Adapec, destacou a importância do encontro e da relação entre ouvidoria e os órgãos, sobretudo no que se refere ao atendimento que é oferecido ao cidadão. “Saímos daqui hoje, com um amplo conhecimento sobre o nosso papel como interlocutor, e ainda tivemos a oportunidade de sugerir e trocar experiências. Sabemos que a função do interlocutor não reflete apenas necessidades corporativas, mas um anseio do cidadão”, concluiu.
Por fim, a ouvidora geral do Estado destacou que encontros como esse são fundamentais para o trabalho do interlocutor, da Ouvidoria e aos envolvidos nela. “São qualificações, capacitações, que englobam os princípios de cooperação e gratuidade e enriquecem muito os órgãos ao dar um padrão de atendimento ao cidadão”, concluiu.

keyboard_arrow_up