I Semana da Controladoria encerra programação com discussões sobre violência laboral e curso sobre suprimento de fundos

O último dia de programação, nesta sexta-feira, 17, foi bastante intenso
por Gabriela Glória/Governo do Tocantins
-
Debates e curso encerram as programações da I Semana da Controladoria - Foto: Reprodução de tela

A mesa de diálogo “Violência laboral, assédio moral e sexual” foi uma das atividades que encerraram a programação da I Semana da Controladoria: promovendo a governança, nesta sexta-feira, 17. Sobre o assunto, uma das debatedoras da mesa, a assistente social Karla Fernanda Valle, do Rio de Janeiro, destacou as distinções entre os termos. 

“É importante fazer essa diferenciação para viabilizar a reivindicação de uma série de demandas latentes que nunca foram consideradas acerca de comportamentos abusivos no mundo do trabalho, que não são assédio moral ou sexual, propriamente ditos, configurando-se como violência laboral”, explicou.

A assistente social trouxe exemplos de casos onde esses tipos de violências acontecem com maior frequência, como nas instituições onde não existe horizontalidade nas relações de trabalho, configurando-se, portanto, em uma questão de gestão e boa governança.

Também debatedora deste evento, a psicóloga e docente, Mariana Miranda Borges, trouxe para a discussão a questão da violência sexual no ambiente de trabalho. “É preciso compreendermos que nos casos de violência sexual  sempre existe uma relação de poder. Muitas vezes, pessoas se utilizam de cargos ou privilégios para cometer atos violentos. Isso também acontece porque ainda temos instituições que naturalizam a violência e não conseguem acolher e garantir a escuta das vítimas”, pontuou. 

A especialista, de Araguaína (TO), também ressaltou que as violências que ocorrem na sociedade, a exemplo daquelas provocadas pelo racismo e o machismo, reverberam nas atividades laborais, e estas interseccionalidades não devem ser ignoradas quando da adoção de medidas de enfrentamento.

A mesa de diálogo foi moderada pela corregedora-geral do Estado, Simone Pereira Brito, que mediou a apresentação e as perguntas dos participantes, e interagiu por meio de comentários e intervenções no debate.

Suprimento de Fundos

No período da tarde, aconteceu o curso “Suprimento de Fundos” que teve como instrutora a gerente de Orientações e Normas da CGE-TO, Elaine Cristina Zanetti Avelino. Durante a capacitação, foram apresentadas as regras do processo de suprimento de fundos e avaliados casos práticos decorrentes desse tipo de despesa.

De acordo com a instrutora, o curso permite uma atuação mais eficaz dos agentes públicos que lidam com essa categoria de gasto público. Elaine destacou que os mecanismos de adiantamento, quando bem compreendidos, permitem uma execução financeira adaptada à celeridade e tempestividade exigidas por algumas despesas. 

“Isso permite que os usuários do suprimento de fundos possam atender aos anseios de seu cliente maior, a sociedade, sem comprometer a obediência aos princípios da legalidade, moralidade, economicidade, eficiência e tantos outros que norteiam a execução orçamentária, financeira e contábil do Poder Executivo Estadual”, evidenciou.

Participante do curso, a diretora do câmpus de Dianópolis da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Ana Delícia Cavalcanti Pires, relatou as contribuições do curso para sua atuação junto ao órgão. 

“Para os gestores dos órgãos que estão responsáveis pelo ordenamento de despesa é de suma importância a oportunidade de se qualificar neste curso. As explicações foram muito claras e de fácil entendimento. Sabemos que qualquer movimentação errônea, responderemos por essas infrações” explicitou Elaine, que contou com apoio do contador da CGE-TO, João Batista Portes Júnior, na moderação das atividades. 

Encerramento

Ao final do curso, o secretário-chefe da CGE-TO, Senivan Almeida de Arruda, encerrou as atividades da I Semana, com agradecimentos aos participantes e aos palestrantes e instrutores, bem como à equipe da Controladoria e às instituições parceiras. “O Governo do Tocantins, na pessoa do governador Mauro Carlesse, está muito feliz com essa grandiosa festa de debates. Todas as atividades do evento tiveram um alto nível de conhecimentos transmitidos. Além disso, o evento trouxe um ganho institucional muito grande para o órgão e por isso esperamos realizar outras edições”, acentuou. 

Certificado

A emissão do certificado de participação no evento será realizada pela Escola de Gestão Fazendária (Egefaz). Para ter acesso, o participante deverá ter frequência nas atividades e responder a um formulário de avaliação que chegará pelos e-mails cadastrado no ato de inscrição.

Parcerias

A I Semana da Controladoria teve início na última terça-feira, 14, e contou com a parceria da Secretaria da Fazenda (Sefaz), por meio da Escola de gestão Fazendária (Egefaz); e da Secretaria da Comunicação (Secom). A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) é apoiadora da iniciativa.

Edição: Val Rodrigues

Revisão Textual: CGE

keyboard_arrow_up