Operação integrada monitora Serra do Lajeado para evitar novos incêndios

Participaram da ação conjunta, além do Naturatins, Batalhão de Polícia Militar Ambiental, Guarda Metropolitana de Palmas, Fundação do Meio Ambiente de Palmas e Centro Integrado de Operações Aéreas
por Wanja Nóbrega/Governo do Tocantins
-
Equipes se concentraram na Praça de Taquarussu antes de subirem a Serra do Lajeado - Foto: Nauratins/Divulgação

Uma operação integrada entre órgãos de fiscalização e combate a crimes ambientais foi realizada nesta sexta-feira, 10. O objetivo da ação conjunta foi monitorar a área da Serra do Lajeado para coibir e combater crimes ambientais, além de prevenir o surgimento de novos focos de incêndio no local.  

A operação contou com agentes de fiscalização do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), Guarda Metropolitana Ambiental de Palmas, Fundação do Meio Ambiente de Palmas e Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopear).

Durante a operação, foram traçadas dez rotas de fiscalização, que serão monitoradas pelos órgãos de fiscalização. A ideia é evitar que incêndios de grandes proporções, como o registrado no final de agosto, voltem a ocorrer. 

A operação conjunto teve início às 8 horas e as equipes se concentraram na Praça de Taquarussu, onde foram repassadas orientações e estratégias a serem adotadas para garantir maior eficiência das ações. 

O comandante da 1ª Companhia de Polícia Militar Ambiental, capitão Hallin Brito Barbosa, explicou que a parceria entre órgãos afins é importante para fortalecer as ações de combate aos crimes ambientais, em especial queimadas ilegais e incêndios, que causam grandes prejuízos, tanto para a população quanto para o meio ambiente. “Precisamos preservar a natureza, não apenas para nós mesmo, mas também para as gerações futuras”, ressaltou o comandante. 

Já o gerente de Fiscalização Ambiental do Naturatins, Cândido José dos Santos Neto, acredita que esse tipo de ação é importante, uma vez que mostra a força das instituições de fiscalização. “Quando trabalhamos em conjunto, conseguimos abranger uma área bem maior e, com isso, nosso trabalho ganha mais eficiência”, concluiu. 

Agentes foram divididos em dez equipes, como forma de garantir uma maior cobertura da fiscalização - Naturatins/Divulgação
Antes de iniciaram a operação, agentes de fiscalização receberam orientações táticas - Nauratins/Divulgação
Participaram da operação integrada, além do Naturatins, BPMA, GMP, FMA e Ciopear - Nautatins/Divulgação
keyboard_arrow_up