Operação integrada do Naturatins e Polícia Militar Ambiental apreende materiais e aplica mais de R$ 6 mil em multas

Durante os três dias de operação foram lavrados oito autos de infração, com aplicação de R$ 6.160 em multas, além do recolhimento de 400 metros de redes e outros apetrechos de pesca
por Wanja Nóbrega/Governo do Tocantins
-
Fiscais do polo de Gurupi realizaram abordagens em veículos e também orientaram quanto à legislação vigente - Foto: Naturatins/Divulgação

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e o Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) realizaram, durante o último final de semana, operação de fiscalização integrada em municípios abrangidos pelos três polos regionais do Instituto, em Palmas, Araguaína e Gurupi. 

A operação foi realizada por meio de rondas ostensivas no lago da usina hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães, entre Lajeado e Palmas, e também de blitzen no município de Monte Santo. 

O objetivo principal da ação integrada foi evitar o descumprimento da portaria do Naturatins nº 106/2019, que proíbe o transporte de qualquer quantidade de pescado e limita o consumo no local da pesca a 5 kg, a a chamada Cota Zero.

Durante os três dias de operação foram lavrados oito autos de infração, com aplicação de R$ 6.160 em multas, além do recolhimento de 400 metros de redes, duas tarrafas, um espinhel, quatro caixas térmicas usadas para transportar ilegalmente 46,5 quilos de peixes, que também foram apreendidos. 

Os fiscais também fizeram o resgate de três pássaros da espécie curió (passeiforme), que estava sendo mantido preso em gaiola, de maneira ilegal. 

Durante a operação, foram realizadas diversas abordagens, com vistoria em embarcações, apetrechos de pesca e acampamentos. Os agentes ambientais aproveitaram as abordagens para reforçar orientações quanto à obrigatoriedade da licença de pesca e da proibição do transporte de pescado.

Os agentes também aproveitaram as abordagens para reforçar a importância do recolhimento dos resíduos sólidos produzidos durante os acampamentos para evitar contaminação dos cursos de água. 

Os 46,5 quilos de pescados de diversas espécies foi doado à Associação Cristã Jovem de Valor, instituição filantrópica de Paraíso do Tocantins. 

Região Norte

A equipe de fiscalização integrada do polo regional de Araguaína ficou responsável por garantir o cumprimento da Cota Zero nos municípios de Babaçulândia, Filadélfia, Barra do Ouro, Pau D’Arco, Arapoema, além da própria Araguaína.

A operação foi dividida em dois eixos geográficos, sendo um voltado para fiscalização de pescado oriundo do rio Tocantins, e outro direcionado ao pescado oriundo do rio Araguaia.

O resultado da operação foi 1,2 mil metros de redes de diversas malhas apreendidas, uma tarrafa e um estilingue (baladeira). 

Região Sul

Já na região Sul do Estado, atendida pelo polo regional de Gurupi, os ficais conseguiram apreender 5 quilos de pescados, das espécies piranha, piau e tucunaré, além de três unidades de tatu china e uma rede de cinco metros. 

Equipe de fiscalização do polo regional de Gurupi durante operação integrada realizada no último fim de semana - Naturatins/Divulgação
Redes usadas em pesca predatória apreendidas pela equipe de fiscalização integrada de Araguaína - Naturatins/Divulgação
Equipe de fiscalização do polo regional de Araguaína pronta para entrar em ação - Naturatins/Divulgação
Redes usadas em pesca predatória apreendidas pela equipe de fiscalização integrada de Araguaína - Naturatins/Divulgação
Equipe de fiscalização do polo regional de Palmas durante operação integrada realizada no último fim de semana - Naturatins/Divulgação
Equipe de fiscalização do polo regional de Palmas durante operação integrada realizada no último fim de semana - Naturatins/Divulgação
Equipe de fiscalização do polo regional de Palmas durante operação integrada realizada no último fim de semana - Naturatins/Divulgação
keyboard_arrow_up