Naturatins e Cetas realizam soltura de animais silvestres

por Cleide Veloso/Governo do Tocantins
-
Naturatins e Cetas realizam soltura de animais silvestres
- Foto: Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins

Nesta semana, a equipe de Supervisão de Fauna do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) acompanhou a equipe do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Araguaína, em procedimentos de soltura e soltura branda de três espécies, em pontos estratégicos do Estado.

Na segunda-feira, 17, foi iniciado o procedimento de soltura de duas fêmeas quati, de nome científico nasua nasua e a soltura branda de duas jaguatiricas, sendo que a fêmea adulta, chegou há alguns meses no Cetas, oriunda a região sul do Estado, com fraturas e escoriações. Esse animal foi mais uma vítima de atropelamento e um caso surpreendente, já que na época de seu resgate, após exames, foi detectado que a felina estava prenha e o filhotinho nasceu no Centro de Triagem. 

Também foi realizada a soltura branda de um casal de gato morisco, nome científico puma yagouaroundi. A gata conhecida no Cetas como Mimi, chegou ainda filhotinha. Já o macho, foi resgatado na região de noroeste e chegou adulto. Ambos foram acolhidos em um dos recintos de acolhimento temporário de animais silvestres que se encontram em estágio de reintegração à natureza. O espaço é preparado pelo proprietário de uma das fazendas parceiras do Naturatins.

A médica veterinária e supervisora de Fauna do Naturatins, Grasiela Pacheco, explicou que propriedades parceiras do Instituto são estruturadas para o acolhimento temporário de animais silvestres. “O responsável pela iniciativa privada parceira, assume o compromisso com a assinatura de um Termo de Cooperação, junto ao órgão ambiental. Então essa soltura, por exemplo, foi realizada em uma das propriedades da Fazenda Piracema, pois nessa área, os animais vão contar com um espaço de mais de 1000ha preservados e com abundância de água. Já a soltura branda, foi em outra área, onde o parceiro preparou um recinto adequado para hospedagem de diferentes espécies e onde em alguns casos, fornece também a alimentação”, resumiu.

O processo de resgate, acolhimento e soltura de animais no Naturatins, no Cetas e em propriedades parceiras é constante e submetido a avaliações periódicas do acompanhamento médico veterinário. Então o Naturatins orienta, que a comunidade não deve proceder com a captura ou socorro a animais silvestres, pois nesse intervalo, o animal pode recuperar a consciência e colocar em risco a sua segurança ou a de terceiros. Caso seja localizado um animal silvestre em áreas urbanas, atropelado em estrada, em condições maus tratos ou aprisionamento, o cidadão deve buscar auxílio do Instituto por meio do Linha Verde no 0800 63 11 55, da Guarda Metropolitana, do Batalhão da Polícia Ambiental da sua cidade ou em um dos Escritórios Regionais do Naturatins.

- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
- Foto Caroline Duks/Governo do Tocantins
keyboard_arrow_up