Dados científicos indicam crescimento populacional do pato-mergulhão no Tocantins

O artigo científico dos trabalhos de monitoramento da população do pato-mergulhão no Jalapão (TO) e uma nota curta sobre ninhos e cavidades foram publicados em revista especializada neste mês, coincidindo com um trabalho de campo que registrou o nascimento de novos filhotes
por Cleide Veloso/Governo do Tocantins
-
Pesquisador do Naturatins registra nascimento de 08 filhotes de pato-mergulhão no Tocantins - Foto: Marcelo Barbosa/Naturatins

Resultados do monitoramento da população do pato-mergulhão no Jalapão (TO), desenvolvidos com apoio e participação do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), foram publicados em artigo científico e nota curta, na edição de julho da revista Contiga, especializada em aves neotropicais. O relatório das expedições de monitoramento da espécie (2021) apresentado no Naturatins, nesta sexta-feira, 16, aponta o nascimento de mais 08 filhotes, no início deste mês. As expedições foram iniciadas no mês de maio e os trabalhos de campo continuam em andamento.

Além do artigo científico, uma nota curta também publicada na revista é fruto de uma expedição realizada em 2019 por um grupo composto de pesquisadores do Naturatins, Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Fundação Pró-Natureza (Funatura), Universidade Estadual do Maranhão e Reserva Particular do Patrimônio Natural Aves Gerais (MG).

O censo reúne dados da população da espécie, ao longo de um trecho de 145 km do Rio Novo, incluindo áreas do Parque Estadual do Jalapão, Área de Proteção Ambiental APA do Jalapão e Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins. As ações previstas no Plano de Ação Nacional (PAN) Pato-mergulhão, coordenado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), conta com apoio e participação do Naturatins. A realização do censo, em 2019, contou também com recursos da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, que apoia o Programa PAN Pato-mergulhão, em nível nacional.

O artigo revela que, no ano de 2019, foram encontrados 25 indivíduos adultos do pato-mergulhão; e compara os dados obtidos pelo pesquisador do Naturatins Marcelo Barbosa, no último censo realizado a cerca de 10 anos. Também elenca a distribuição espacial da espécie ao longo do trecho e faz uma abordagem sobre as ações e políticas públicas necessárias para a conservação da espécie na região.

A nota curta descreve outros 02 ninhos da espécie encontrados na região do Jalapão e faz uma abordagem sobre as cavidades de árvores ao longo do rio Novo, que tem potencial para serem usadas como ninhos pelo pato-mergulhão. Com esses ninhos descritos, o levantamento já soma sete ninhos conhecidos e descritos.

“Os dados publicados são de grande relevância para o desenvolvimento de ações de conservação voltadas à espécie, que está Criticamente Ameaçada de extinção, permitindo ao órgão ambiental, um dos responsáveis pela sua preservação, traçar, definir e adotar estratégias baseadas em dados científicos, para a conservação da espécie no Jalapão”, afirma Marcelo Barbosa, biólogo ornitólogo e mestre em Ecologia de Ecótonos, pesquisador e inspetor de Recursos Naturais do Naturatins.

Marcelo Barbosa conta que neste ano, a temporada reprodutiva da espécie está sendo bastante animadora e vem apresentando bons resultados das ações desenvolvidas pelo Naturatins, em prol de sua conservação. O pesquisador monitorou um ninho por alguns dias e desde o mês de maio foi possível obter importantes dados sobre a reprodução da espécie, seus hábitos comportamentais diários, obter vídeos e fotos, realizar experimentos de manejo de ninho, entre outros procedimentos.

O pesquisador do Naturatins revela que foi possível acompanhar, no último dia (4) de julho, o nascimento de 08 filhotes, no ninho monitorado desde maio. Marcelo Barbosa explica que, no ninho haviam 09 ovos, mas um não se desenvolveu, contudo, a fêmea realizou um recorde na quantidade de ovos, em uma mesma postura. O biólogo adiantou ainda que, em agosto, está prevista uma nova expedição, para a realização de um novo censo, com a ação conjunta Naturatins e PAN Pato-mergulhão.

Paulo de Tarso Z. Antas, doutor e pesquisador da Funatura, também é um dos coautores dos artigos e coordenador de alguns trabalhos de campos desenvolvidos pelo PAN Pato-mergulhão. Ele esclarece que os artigos apresentam a descoberta de dois novos ninhos ativos, sendo um deles na Estação Ecológica da Serra Geral do Tocantins e outro no Parque Estadual do Jalapão.

“A descoberta desses ninhos confirma a importância das Unidades de Conservação para a sobrevivência da espécie. O Tocantins possui a maior população atual da espécie em áreas de conservação. A sinergia do grupo de trabalho do PAN Pato-mergulhão, com a interação entre pesquisadores de instituições governamentais e não-governamentais são fundamentais para que essa espécie, considerada a embaixadora das águas interiores do país, seja futuramente retirada da triste lista das mais ameaçadas de extinção no continente americano”, conclui Paulo Antas.

PAN Pato-mergulhão

Em seu segundo ciclo, o Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação do Pato-mergulhão desenvolve ações previstas para o período (2018-2023) e tem o objetivo de manter as populações da espécie, visando o incremento populacional e assegurar a conservação de seu habitat, no bioma Cerrado e Mata Atlântica.

Após a criação do Instituto Chico Mendes, o PAN passou por uma reestruturação de seus objetivos específicos e ações, seguindo as novas instruções para elaboração e implementação dos PANs, conforme Instrução Normativa ICMBio nº 25/2012. O primeiro ciclo do Plano ocorreu no período (2006-2016).

Publicações

Para consultar o artigo científico, o Naturatins mantém disponível o arquivo no site, basta clicar em Dados populacionais e distribuição espacial do pato-mergulhão Mergus octosetaceus no rio Novo (Jalapão, Tocantins) recenseamento após dez anos e para consulta a nota curta, basta clicar em Ninhos e cavidades potenciais para nidificação do pato-mergulhão Mergus octosetaceus ao longo do rio Novo, Jalapão, Tocantins, Brasil.

 

Dados científicos indicam crescimento populacional do pato-mergulhão no Tocantins - Marcelo Barbosa/Naturatins
keyboard_arrow_up