Seciju indica canal criado pela Unicef para auxiliar adolescentes e jovens a cuidar da saúde mental

O site Pode Falar disponibiliza atendimento psicológico gratuito e anônimo para adolescentes e jovens de 13 a 24 anos
por Gabriela Santos/Governo do Tocantins
-
O canal “Pode Falar” é uma plataforma voltada para o atendimento de maneira anônima e gratuita - Foto: Divulgação/Unicef

Com o objetivo de incentivar adolescentes e jovens com idades entre 13 e 24 anos a preservar a saúde mental durante a pandemia de Covid-19, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou o canal “Pode Falar”, uma plataforma voltada para o atendimento de maneira anônima e gratuita, e apoiando a iniciativa, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Superintendência de Administração do Sistema de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente, ressalta a importância de usar o canal para buscar ajuda e assim manter à saúde psicológica. 

O mês de setembro é dedicado a prevenção ao suicídio e preservação da saúde mental, com isso a Superintendente do Sistema de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Rute Andrade, explica que a iniciativa da organização possibilita aos adolescentes e jovens acesso fácil a assistência psicológica amparando os que adquiriram problemas e também auxilia nos cuidados daqueles que estão enfrentando obstáculos que podem afetar a saúde mental. 

“A importância de disponibilizar atendimento gratuito para que todos os adolescentes e jovens tenham fácil acesso a assistência psicológica é importantíssimo. Falar sobre saúde mental com esse público é estimular o hábito do autocuidado, dessa forma prevenindo problemas com a saúde que afetem diretamente a vida dessas pessoas”, disse. 

O canal

A plataforma foi criada em parceria com organizações da sociedade civil, com o governo, setor privado e pessoas engajadas pelos direitos de crianças e adolescentes, sendo dividida em três etapas. Na primeira intitulada, “Quero me cuidar”, os usuários que acessarem o canal poderão receber vídeos, guias e manuais com orientação para o autocuidado. A segunda sessão, “Quero me inspirar”, permite participar de um processo colaborativo entre pares de dicas sobre como ficar bem; na terceira, “Quero falar”, os adolescentes podem receber atendimento humano de escuta qualificada, oferecido por organizações parceiras.

Além do atendimento virtual, o canal também conta com depoimentos de adolescentes e jovens que enfrentaram situações difíceis e ainda assim conseguiram superar seus problemas. 

 

Edição: Shara Rezende/Governo do Tocantins

Revisão Textual:

keyboard_arrow_up