Momentos de oração e louvor contribuem com a reinserção social de adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa

Em função da pandemia da Covid-19, a assistência religiosa tem sido feita entre servidores e adolescentes na capela dentro do Case
por Márcia Rosa/Governo do Tocantins
-
A assistência religiosa, com direito a culto, é um direito de todos - Foto: Divulgação Seciju/Governo do Tocantins

A ressocialização é um processo e precisa percorrer alguns caminhos, como o da espiritualidade que impacta na vida das pessoas, independente da crença. Pensando nisso, servidores do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Palmas, administrado pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), têm promovido, quatro vezes por semana, momentos de oração e louvor com participação dos adolescentes, o que tem proporcionado conforto espiritual e refletido positivamente no comportamento deles.

“Durante os cultos temos a oportunidade de conhecer a palavra de Deus e praticar o que não praticamos lá fora porque não conhecíamos e assim nos apegamos mais a palavra, além de ser um momento muito bom de apoio espiritual também pra família de cada um de nós que está cumprindo medida socioeducativa”, disse o adolescente J.E.S. S.

O adolescente A. B. S também fala sobre os cultos. “Acho importante o momento da oração e de louvor que o pastor traz pra gente em todo plantão porque podemos falar com Deus, colocar nossa família em oração e nos faz sentir mais aliviado e o nosso dia fica melhor”, falou.

Assistência Religiosa

Mais que um direito social de todo cidadão, a assistência religiosa, com liberdade de culto, é fundamental para preservar a saúde mental dos adolescentes e servidores. O chefe interino do Case, Júnior César, afirmou que os momentos de adoração se intensificaram devido à suspensão das visitas e são ansiados pelos adolescentes. “Esses momentos de oração estão acontecendo em pelo menos dois plantões durante o café da manhã deles, e a noite, a pedido dos próprios adolescentes, com participação de todos eles”, disse.

O agente de segurança socioeducativo, Francis Eduardo, reforça a importância desses momentos ecumênicos. “Tem sido muito importante não só para nós, mas também para os adolescentes porque traz momentos de paz e reflexão daquilo que eles podem almejar lá fora. Eles têm recebido muito bem e isso reflete diretamente no comportamento deles dentro da unidade”, destacou.

 

 

Edição: Shara Rezende/Governo do Tocantins

Revisão Textual: Shara Rezende/Governo do Tocantins

keyboard_arrow_up