Programa Estadual de Sanidade Avícola - PESA

O Programa Estadual de Sanidade Avícola – PESA (criado através da Portaria da ADAPEC N.º 171 de 08 de setembro de 2004) tem a função de executar as ações de defesa sanitária no que se refere às doenças das aves, atendendo as enfermidades avícolas de notificação em conformidade com o PNSA – Programa Nacional de Sanidade Avícola.

Atividades do Programa

  • Cadastramento e certificação de estabelecimentos avícolas;
  • Fiscalização quanto a participação em eventos agropecuários;
  • Controle do trânsito;
  • Vigilância epidemiológica e sanitária das principais doenças aviárias destacando-se as doenças de notificação à OIE;
  • Georreferenciamento dos pontos de risco e estabelecimentos avícolas do estado;
  • Cadastro dos estabelecimentos que comercializam aves vivas;
  • Vigilância passiva: notificações de mortalidade acima de 10% em estabelecimentos avícolas de produção para corte com atendimento realizado em campo pelo serviço oficial (ADAPEC);
  • Vigilância passiva das aves de subsistência e na avicultura industrial;
  • Monitoramento de matrizeiro;
  • Monitoramento de estabelecimentos para salmonelose e micoplasma;
  • Inquéritos epidemiológicos.

Doença de Newcastle

É uma infecção respiratória aguda altamente contagiosa causada por vírus, que acomete todas as espécies de aves. É de grande facilidade de contágio, atingindo aves silvestres e aves de criatório, de qualquer idade, ocasionando alto nível de mortalidade.  

Sinais clínicos

Os sinais clínicos descritos para a DN são muito parecidos ou idênticos à outras enfermidades infecciosas, como: bronquite infecciosa, laringotraqueíte, coriza, doença crônica respiratória, dentre outras, portanto, sinais clínicos isoladamente não apresentam uma base confiável para o diagnóstico da DN.

  • Depressão;
  • Perda de apetite;
  • Diarréia branco-amarelada;
  • Severa desidratação;
  • Inchaço ao redor dos olhos e da cabeça;
  • Alterações na respiração(espirros, descarga nasal e ocular);
  • Tremores e paralisia das asas, das patas e do pescoço(levando a torcicolo);
  • Opistótono (cabeça virada para trás);
  • Conjuntivite;
  • Alta mortalidade no lote das aves.

Transmissão
Causada por um vírus da família Paramixoviridae, a doença é transmitida no contato entre as aves, no contato com objetos, água e ração contaminados ou, principalmente, pelo ar, através de aerossóis (partículas) de aves infectadas. Aves apresentando sintomas respiratórios excretam vírus em aerossóis que podem ser inalados por aves susceptíveis. Da mesma forma, como esse vírus também se replica a nível intestinal, pode ser difundido por fezes contaminadas, através da sua ingestão direta ou indiretamente através da ingestão de ração ou água contaminada ou ainda pela inalação de pequenas partículas produzidas pelas fezes secas.

Alguns animais, principalmente pequenos roedores, insetos e artrópodes, os quais transitam entre aves infectadas e aves susceptíveis, podem representar um potencial para a difusão da DN, transmitindo mecanicamente o vírus outro fator de transmissão são pessoas com seus calçados, roupas e veículos.

Prevenção

  • Vacinação das aves;
  • Adoção de medidas gerais de higiene e desinfecção (água e ração);
  • Promover a higiene e desinfecção dos viveiros e utensílios;
  • Manter afastadas aves desconhecidas e silvestres;
  • Evitar o contato de aves doentes com aves sadias;
  • Adquirir aves de locais certificados pelo Ministério da Agricultura – MAPA;

Diagnóstico
O isolamento viral e a posterior caracterização é o único método seguro de diagnóstico da doença de Newcastle.

Influenza Aviária

A influenza Aviária (IA) é uma doença altamente contagiosa causada pelo vírus Influenza e que afeta o sistema respiratório, digestivo, nervoso e reprodutivo. Atinge aves silvestres (aquáticas principalmente) e domésticas. A gripe aviária, como também é conhecida, possui um alto índice de letalidade, tanto nas aves domésticas, quanto em seres humanos. A notificação dos focos da doença é compulsória.

Sinais clínicos

  • Depressão severa;
  • Falta de apetite;
  • Penas arrepiadas;
  • Inchaço facial, com crista e barbelas inchadas e cianóticas;
  • Canelas com lesões hemorrágicas;
  • Dificuldade de respiração com descarga nasal;
  • Queda acentuada na postura de ovos;
  • Prostração;
  • Diarréia;
  • Paralisia;
  • Morte.

Transmissão

O Vírus da IA possui transmissão horizontal de ave para ave, diretamente a partir de secreções do sistema respiratório e digestivo e indiretamente por equipamentos, roupas, calçados, insetos, aves e animais silvestres, alimentos e água contaminados. As aves migratórias, principalmente as aquáticas, são reservatórios naturais a milhares de anos, sendo considerada o principal reservatório do vírus na natureza.

Prevenção

  • Evitar o contato de aves domésticas com aves silvestres;
  • Controle do trânsito de veículos e pessoas nas granjas;
  • Criação de aves em instalações fechadas, utilizando a tela anti-pássaros;
  • Vigilância Epidemiológica e Implementação de medidas de biosseguridade na Avicultura Industrial.
keyboard_arrow_up